O que te leva ao sucesso: motivação ou disciplina?

Por Fernanda Lopes de Macedo Thees

Os grandes atletas não dependem de motivação, e não seriam tão grandes se dependessem. Gosto de assistir esportes, principalmente nas Olimpíadas mas, mais do que o esporte em si, me chama muita atenção a historia pessoal de cada atleta. O que não faltou na Rio 2016 foi historia de atletas quase anônimos que ganharam medalhas, bateram recordes, e inspiraram o mundo todo, com vitórias e atitudes.

Mas como vencer, onde cada milésimo de segundo, cada ponto, cada golpe, cada centímetro conta? Como se tornar o melhor?

Quando comecei a ver resultados como o de Thiago Braz, batendo recorde olímpico no salto com vara, ou as três medalhas de Isaquias Queiroz na canoagem, fiquei imaginando quanta motivação esses atletas precisam ter para realizar seus treinos pesadíssimos todos os dias. Mas não, o que eles precisam todos os dias não é de motivação, é de disciplina.

E qual é então a diferença entre motivação e disciplina? Enquanto o primeiro estado é dependente, o segundo é independente.

Você realiza algo quando está motivado pois tem a VONTADE de realizar. Se você precisa de motivação para fazer algo acontecer, muitas vezes tem que esperar até estar animado a fazer, o que resulta em PROCRASTINAÇÃO.

Por outro lado, disciplina é fazer algo porque você sabe que PRECISA FAZER, estando ou não com vontade.

Se você precisa de motivação para fazer as coisas acontecerem, elas podem ou não acontecer, e podem demorar bastante. Se você tem disciplina, vai haver resultado – claro que em maior ou menor amplitude, dependendo inclusive de qual é seu objetivo.

Ano passado tive o grande prazer de conhecer o Isaquias Queiroz, 2 medalhas de prata e 1 de bronze nessas olimpíadas, e fui ler um pouco mais sobre sua vida. Nascido em Ubaitaba, na Bahia, Isaquias começou a praticar e gostar de canoagem aos 10 anos, mas de lá até hoje houve um longo caminho. Para chegar onde está hoje ele teve que treinar por muitos anos, regularmente, muitas horas por dia.

““Medalhas são conquistadas com ausências”, diz Jesús, o treinador Colombiano de Isaquias, que deixou a mulher e a filha de 3 anos vivendo na Colômbia. Eles encontram-se raramente, em datas especiais. Isso não significa que ele queira ver seus atletas infelizes. “Desejo que tenham namoradas, família, uma vida afetiva plena”, afirma. “Se você tem um atleta infeliz, dificilmente ele vai render bem.” Mas a renúncia do treinador acaba servindo de exemplo para os esportistas, que estão prestes a encarar os anos mais desafiadores de suas vidas.”   (trecho Isto E)

Se você se colocar no lugar dele, acha que todos os dias ele acordou motivado a treinar tão intensamente? Provavelmente NÃO! Nas rotinas de treino, precisou ficar muitas vezes e muito tempo longe da família, amigos, namorada, em dedicação exclusiva ao esporte, mas ele manteve a disciplina pois tinha um objetivo maior, de ser medalhista olímpico. Desta forma, mantendo a disciplina, é possível que ele tenha começado a ver melhores resultados, aumentando sua MOTIVAÇÃO.

Então temos aqui mais um aprendizado com as olimpíadas. O que aconteceria se você tivesse a disciplina de FAZER todos os dias o que precisa ser feito? Provavelmente você ficaria muito mais motivado, ao perceber o quanto está sendo produtivo, ao invés de parar e esperar a motivação interna chegar.

Fernanda Lopes de Macedo Thees e o Medalhista Olímpico Isaquias Queiroz (Olimpíadas Rio-2016)

Então, vamos lá!

Bom trabalho e boa sorte!